carregando
Carregando...
Caso a página demore muito para carregar,
aperte o botão "atualizar" do seu navegador ou a tecla "F5".

  • Receba informações e promoções de nosso site.


Notícias

Saúde

Graça Filmes lançará filme sobre suicídio

03/10/2017 às 19:56h
Estudos recentes apontam a depressão como o principal fator de risco para que alguém atente contra a própria vida.

Assunto ainda tratado como tabu pela sociedade, o suicídio é um problema que cresce nas mais diferentes faixas etárias, chamando a atenção da população. O primeiro Relatório Global para Prevenção do Suicídio, da Organização Mundial da Saúde (OMS), apontou que mais de 800 mil pessoas tiram a própria vida a cada ano no mundo. No Brasil, o último dado do Ministério da Saúde mostra que em 2014 foram mais de 10.600 casos, dando ao país a oitava colocação no rankingmundial de suicídios.

Depressão, traumas, solidão, fim de relacionamentos amorosos, crises financeiras, dentre outras dificuldades do mundo contemporâneo são considerados fatores de risco para o suicídio. O longa-metragem Quando tudo parece perdido, próximo lançamento da Graça Filmes no Brasil, é inspirado em histórias reais e retrata a trajetória de uma mulher divorciada, mãe de dois filhos pequenos, que se apaixona por um velho amigo e, diante dos obstáculos, se desespera e decide acabar com a própria vida.

De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz, a maior parte das pessoas que pensa em cometer o ato suicida enfrenta uma doença mental que altera a percepção da realidade e interfere no livre arbítrio. A OMS estima que 90% dos casos podem ser evitados quando há oferta de ajuda. Para os profissionais da área de saúde mental, a troca de informações sobre o assunto pode ser muito útil para diminuir esses índices. “Temos um problema de saúde pública e podemos nos prevenir quanto a ele”, afirma Robert Paris, presidente do Centro de Valorização da Vida(CVV).

Especialistas apontam que o tema, até pouco tempo, não era muito debatido no Brasil. “Quanto mais falarmos sobre o assunto, mais pessoas conseguiremos ajudar. O tratamento da doença é a melhor forma de prevenir”, completa Karen Scavacini, psicóloga do Instituto Vita Alere. Recentemente, o CVV registrou um aumento de 445% nas buscas de ajuda por e-mail e 170% na procura ao site. “É uma oportunidade de conversarmos abertamente sobre o suicídio”, resume o presidente do CVV. Para facilitar o acesso ao apoio psicológico para pessoas que sofrem de ansiedade, depressão ou risco de suicídio, o Ministério da Saúde firmou um acordo de cooperação técnica com o CVV, tornando possível o atendimento gratuito, em todo o Brasil, pelo telefone 188.

A espiritualidade também é considerada um fator de proteção. Para o pastor Wanderlei Bastos, da Igreja Internacional da Graça de Deus, o povo de Deus tem falhado em não se esmerar mais para levar a Palavra aos sofridos. “Sabemos que o vazio que há dentro dos corações, muitas vezes, é o que ocasiona tal atitude nos suicidas, e que só pode ser preenchido pelo amor de Deus”, explica. Dados do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP ilustram a tese do pastor, pois em cerca de 35% dos casos a depressão é o fator principal do ato suicida.

Wanderlei considera o papel do corpo de Cristo como fundamental no combate à depressão e males da alma. “Nosso Senhor Jesus nos incumbiu de curar os enfermos (Mt 18.8). É uma enfermidade da alma, e a cura é possível por intermédio do poder que há na Palavra viva e eficaz do Senhor”, conclui.

Fontes: Graça Filmes/Fiocruz/Radioagência Nacional/Revista Galileu

Fonte: Ongrace

Comentários

Você precisa logar no site para poder enviar comentários. Clique aqui caso ainda não possua um cadastro em nosso site.

     

    1